O que você quer ser quando crescer? Tem gente que quer ser astronauta. Depois pensa em ser biólogo, mas acaba descobrindo em outra escolha uma razão para ser feliz e um significado para o que chamamos de profissão. Definir o caminho que vamos seguir talvez para o resto da vida como carreira não é uma decisão fácil. Muito menos quando se tem 17, 18 anos.

       Mais de 900 alunos de 21 escolas de Caratinga e região estiveram presentes na 4ª Mostra de Profissões do UNEC, que aconteceu na última sexta-feira (17/11) no auditório da Unidade I. Eles tiveram a oportunidade de conhecer um pouco da instituição e os 24 cursos de graduação oferecidos. O evento foi um incentivo para que estes estudantes continuem o caminho da educação e tenham um direcionamento em suas escolhas.

       Diego Gonçalves Ferreira é da E. E. Prof. Ilma de Lana, de Dom Cavati, e já fez uma escolha. Apesar de ter muita facilidade em Ciências Humanas, quer mesmo seguir a carreira de Engenheiro Civil, pois é o que sonha desde pequeno: “eu aprendi com meu pai que era pedreiro”, contou. João Vítor Oliveira, da mesma escola, também já decidiu: ele quer Medicina. “É uma profissão que me chama atenção porque ajuda as pessoas e salva vidas”.

     Kemilly Ferreira e Glenda Carvalho têm 18 anos e são da E. E. Princesa Isabel, de Caratinga. Kemilly quer fazer Administração: “eu comecei a trabalhar com 16 anos nessa área e ela acabou despertando meu interesse. Eu já penso em fazer um Mestrado e um Doutorado também”. Já Glenda pretende seguir Biologia Marinha: “desde pequena eu tinha vontade. Sempre achei muito interessante as instituições e ONGs que trabalham com vida marinha. Já pesquisei e cheguei a conhecer certos lugares, e realmente é o que meu coração palpita para querer fazer”, explicou.

     A coordenadora do NAP do UNEC (Núcleo de Atendimento Psicopedagógico), Inês Azevedo, explicou que é natural que a maioria dos adolescentes fique indecisa nessa fase, pois cada vez mais cedo eles têm que fazer uma escolha profissional. “É o anseio da família, é uma questão cultural. Nós queremos que eles façam essa escolha, que eles entrem no mercado de trabalho. Eu entendo que a Mostra de Profissões é um momento muito rico para eles, porque por mais que eles sejam jovens inseridos em uma sociedade que traga muita informação, são informações que chegam de forma fragmentada e superficial. Neste momento eles têm condições de ter informação mais condensada, de forma mais direcionada. Aqui eles estão visitando os estandes, conhecendo o perfil, campo de atuação e tempo de duração de cada curso”.

 Desafios

Um dos maiores desafios da educação em nosso país é a permanência do jovem na escola. De acordo com o Censo Escolar 2015, estima-se que um milhão e meio de adolescentes entre 15 e 17 anos não estão estudando. A diretora da Superintendência Regional de Ensino de Caratinga, Landislene Gomes Ferreira, comentou sobre a importância de ações como a Mostra: “Estes alunos que estão aqui, são alunos que fazem parte deste número diferente, do número dos que ficaram, dos que permaneceram na escola. Então eles venceram o desafio e estão encerrando o ensino médio. O que está acontecendo aqui é um trabalho que acontece ao longo do ano e hoje é uma culminância desse projeto, onde os alunos terão a oportunidade de visitar os estandes da instituição, podendo escolher o que eles querem para o futuro. Isso é uma das ações que fazem vencer esse desafio. Isso é muito importante. Ações como essa ajudam muito na permanência do jovem na escola”.

No passado, havia um número de profissões e de oportunidades de trabalho muito menores. E a diversidade que se têm hoje também pode contribuir para a certa dificuldade que os jovens têm na hora de fazerem suas escolhas. Mas para chegar até lá, é preciso transformar sonhos em realidade. Esse foi tema de uma palestra que os alunos também puderam acompanhar no evento, ministrada pelo pró-reitor de Administração do UNEC, Eugênio Maria Gomes.

“Nós temos aqui hoje presentes coordenadores, professores, alunos da graduação, para poder falar sobre cada curso. Caratinga hoje oferece uma gama de oportunidades para esses alunos, e ninguém precisa sair da cidade para estudar. Só o UNEC oferece 24 cursos de graduação, fora os outros cursos que nós temos, de extensão, cursos técnicos, tecnológicos. Então é uma oportunidade ímpar para eles”, explicou Eugênio.

O reitor do UNEC, Antônio Fonseca da Silva, também esteve presente e reforçou a satisfação em receber os alunos: “A instituição tem o prazer, tem a honra de receber as pessoas e por isso esse projeto se chama “Unec de Portas Abertas”. Nós queremos receber porque é uma oportunidade que as pessoas têm de fazer o seu curso de escolha. No passado essa oportunidade era muito restrita, então hoje não há mais motivo para a pessoa estar do lado de lá do muro e não sentir liberdade de dizer ‘eu quero conhecer’. Então a gente fica muito feliz quando chega um aluno e diz ‘eu queria conhecer aqui dentro’. Que bom pra nós, isso é espetacular. A gente fica feliz de receber as pessoas”.

Fonte: www.unec.edu.br